Select Page

Hoje quero falar um pouco convosco sobre o passar da teoria à prática.

O bebé está pronto para iniciar a alimentação complementar, a família pretende utilizar o método Baby Led Weaning (BLW) e agora como vão fazer isso?

Vejo muitos pais que ouviram falar em BLW, acham a ideia, de alguma forma, interessante mas pelos mais diversos receios optam por continuar a oferecer purés à colher. Mas depois dizem que oferecem para a mão do bebé alguns alimentos em pedaços. Esses alimentos, na esmagadora maioria das vezes, são muito pouco interessantes sob o ponto de vista nutricional. Lá vai o pedaço de pão (cheio de sal e que muitas vezes adquire uma consistência pastosa que cola ao céu da boca e promove o engasgamento) e a bela da Bolacha Maria (cheia de açúcar e gorduras hidrogenadas). Se se encaixam nesta categoria, ainda vão a tempo de mudar, sejam criativos e vejam na banca do mercado a infinidade de legumes e frutas da época que darão óptimas finger food (pedaços de comida para o vosso bebé agarrar). E já que estão no mercado passem também pelo talho e pela peixaria.

1.ºs Alimentos

Numa primeira fase poderá optar por apresentar os alimentos de forma simples. No entanto, o grande objectivo é que toda a família partilhe a mesma refeição.

Como começar?

  • Cortar os legumes e fruta no formato de palitos grossos e compridos. Lembrem-se o movimento de pinça só é adquirido pelos 8-9 meses e por isso, se oferecerem os alimentos em pedaços muito pequenos, o bebé não os consegue agarrar, fica frustrado e aumenta a vossa tentação, enquanto pais, de colocarem os alimentos na boca do bebé (e aí sim, aumentamos o risco de engasgamento);
  • Legumes – cozer a vapor ou assar no forno. Não colocar sal mas usar e abusar das ervas aromáticas e especiarias;
  • Fruta – pode oferecer crua à excepção da maçã e pêra verde (que também devem ser ligeiramente cozinhadas);

Bróculos, Cenoura, Batata Doce e Chuchu Fonte: Patrícia Ferreira

Manga, Maçã, Banana e Uvas Fonte: Patrícia Ferreira

  • Carne e Peixe
    • em formato de mini-hamburgueres, almôndega ou croquete ou “salsicha”
    • Bife ou posta/filete de peixe em tiras ou lascas grossas
    • Carne no osso, por exemplo, perna de frango ou coelho ou costoleta

Perna de Frango

Pastel de Atum e Batata Doce, Hambúrguer de Grão e Bolinho de Pescada

O que oferecer?

Oferecer uma alimentação variada e equilibrada a toda a família. Com alimentos frescos e sazonais (sempre que possível, optar por alimentos de origem biológica).

Aproveite a introdução da alimentação complementar do seu filho para adquirir maior consciência da importância da alimentação saudável na sua vida.

O que não oferecer ou evitar?

  • Leite de vaca em natureza (o “leite do pacote”) só deve ser oferecido a partir dos 12 meses (em bebés que não são amamentados e em famílias que consomem leite de vaca)
  • Sal
  • Mel (só depois dos 2 anos)
  • Açúcar (não oferecer nunca, se possível)
  • Alimentos processados
  • Fritos

Uma das vantagens do BLW é não ter que cozinhar pratos específicos e exclusivos para o bebé.

Considero importante mudar o paradigma. Ao planearmos as refeições, em vez de pensarmos “o que vou cozinhar hoje para o bebé?”, pensarmos “o que vou fazer hoje para o almoço de toda a família?”

Desta forma vamos ser todos muito mais felizes!

  • Cada elemento da família tem o seu próprio prato para olhar – ao invés de estar a distrair um bebé que se está a alimentar. Ou até mesmo o termos que comer à vez para alguém estar a tomar conta do bebé.
  • Como não se cozinha especificamente para o bebé, perde-se um pouco a noção das quantidades ingeridas. Regra geral, os pais (avós, vizinhas…) têm uma ideia errada sobre a capacidade gástrica de uma criança (habitualmente, pretende-se que as crianças comam muito mais do que necessitam). Uma das grandes vantagens do BLW é a auto-regulação. Permite que o bebé tenha noção de saciedade. Tal como o Pediatra Mário Cordeiro refere “é impossível que alguma criança morra de fome com comida disponível”. Temos que descontrair e confiar no nosso bebé. O BLW é a alimentação complementar a pedido, tal como o é (ou devia ser) o aleitamento materno até aos 6 meses.

Relativamente ao sal, toda a família tem a beneficiar com a sua redução.

Exemplos de Refeições para toda a Família

Inicialmente pode parecer um exercício de difícil execução mas, na verdade, se pegarmos em qualquer Livro de Receitas Saudáveis, a grande maioria das receitas são adequadas para toda a família. Em alguns casos necessitarão de pequenas adaptações, nomeadamente no formato dos alimentos.

Hambúrguer de salmão com palitos de batata doce Fonte: www.jocooking.com

Frango assado com legumes no forno Fonte: www.jocooking.com

Ovas de pescada grelhadas com cenoura e rebentos de brócolos Fonte: www.jocooking.com

Pastéis de atum e batata doce com legumes assados

Salmão com brócolos e feijão encarnado

Lasanha de peixe e courgete

Peito de frango assado com batata doce e quinoa com legumes

Coelho assado com penne de trigo integral e palitos de batata doce

Almôndegas de novilho com arroz selvagem, batata doce e maçaroca de milho

Bom Apetite! Divirtam-se! Sejam Felizes! Está tudo bem!